Eletrodo Baroquímico - BQ2400

O eletrodo quimicamente ativo BQ2400 não é uma haste de aterramento comum, é um sistema completo de aterramento projetado e construído para qualquer tipo de aplicação relacionada com proteção de equipamentos, edificações e pessoas. O BQ2400 é um sistema ultra eficiente de baixa impedância e baixa resistência especialmente indicado para:

  1. Sistema de pára-raios.
  2. Sistema de supressão de surtos e transientes de tensão.
  3. Prevenção e eliminação de cargas estáticas e acidentes decorrentes.
  4. Obtenção de resultados e solicitações de segurança em subestações.
  5. Proteção de equipamentos eletrônicos - surtos, transientes e flutuações de tensão.
  6. Sistemas de aterramento para corrente alternada.
  7. Aterramento para centrais telefônicas e de telecomunicações.

 

Os eletrodos BQ2400 atendem e excedem todas as exigências de normas e são desenvolvidos para proteção de pessoas, equipamentos e propriedades. Agora mesmo os eletrodos BQ2400 estão protegendo equipamentos valiosos de emissoras de rádio, televisão, estações delicadas de telecomunicações, radares, aeroportos, centro de controle de tráfego aéreo, estações metereológicas, subestações de energia elétrica, centro de processamento de dados e grandes parques de diversões. Algumas destas instalações estão localizadas em regiões de alta incidência de raios em varias partes do mundo.

O prejuízo causado por apenas um raio ou uma corrente parasita (estática), pode custar milhões de reais em perdas de equipamentos, paradas não programadas na produção ou possíveis perdas de vidas humanas. Por isto, os eletrodos BQ2400 são tão importantes. É o sistema mais eficiente disponível hoje para uso, e uma vez instalado irá providenciar uma conexão com a terra eficiente, estável e confiável. A vida útil de um eletrodo BQ2400 excede em muito a das hastes convencionais copperweld.

 

Por Que os BQ2400 São Mais Eficientes?

O BQ2400 providencia uma interface perfeita, e o que é mais importante, uma interface de baixa impedância com o solo do local onde são instalados. Isto se deve a um contínuo condicionamento químico do solo através da injeção permanente de sais metálicos ao redor do eletrodo BQ2400.

Diferente dos outros produtos e sistemas eletrolíticos de aterramento elétrico, os BQ2400 condicionam quimicamente um grande volume de solo. Uma formulação especial de sais é distribuida ao longo de toda a extensão do eletrodo e continuamente condiciona todo o solo de influência para o bom funcionamento do sistema de aterramento.

De fato, este sistema é tão eficiente que apenas um BQ2400 pode substituir até 10 hastes copperweld convencionais. Isto é muito importante, pois sabemos que o número de hastes de terra e a área requeridas para um aterramento elétrico, sobem exponencialmente em função da diminuição do valor de resistência ôhmica desejado. Para locais com espaço restrito, os Chem Rods são insubstituíveis. Observar também, que os BQ2400 alcançam o menor valor de resistência e sua performance varia muito pouco. É um sistema estável, eficiente e muito mais confiável.

 

Um Sistema que Você Pode Confiar

Os BQ2400 foram desenvolvidos para serem muito mais efetivos que as hastes convencionais de aterramento, mesmo quando instalados em regiões desérticas, geladas ou em florestas tropicais. Um sistema que proporciona proteção estável por muitos anos.

A inspeção de um BQ2400 é muito simples e pode ser efetuada por qualquer pessoa. Simplesmente retire a tampa rosqueável e verifique o nível de sais em seu interior. Se o nível estiver baixo, basta carregá-lo com o refill de sais de forma simples e com muito baixo custo. O tempo de recarga dos sais é em função da porosidade e da umidade do local. Uma inspeção anual é recomendada. O sistema é virtualmente livre de manutenção.

 

Disponíveis Para Quaisquer Necessidades ou Condições

Os eletrodos BQ2400 produzidos pela IDEAL Engenharia, são disponíveis nas configurações vertical ou horizontal com diâmetro de 2 5/8 de polegadas e comprimento de 2,40 metros. O grande diâmetro do BQ2400, em comparação com as hastes convencionais, proporciona um maior e melhor contato com o solo ao seu redor. Para solos rochosos, ou que não permitam a abertura do pequeno poço de instalação, os eletrodos BQ2400 horizontais são recomendados. Podem ser instalados em qualquer lugar, mesmo sob pavimentação ou internamente às edificações.

 

O Melhor de Tudo: SUPORTE TÉCNICO PERMANENTE!

Todo suporte técnico necessário para que você obtenha os melhores resultados está disponível permanentemente. Desenvolvendo projetos específicos, escolha da melhor configuração da malha de terra ou o cálculo do número de eletrodos necessários e tudo mais que for necessário, você encontrará na IDEAL Engenharia. Poderemos auxiliá-lo na instalação dos BQ2400, ou se preferir, nossos técnicos poderão fazer o serviço para você. Fornecemos também serviços de consultoria, projeto e instalação de malhas de aterramento para qualquer finalidade, incluindo aqui medições de resistência e cálculo de resistividade elétrica do solo.

Artigo Técnico

Aterramento é a arte de se fazer uma conexão com toda a "terra". A conexão terra é na realidade a interface entre o sistema de aterramento e toda a terra, e é por esta interface que é feito o contato elétrico entre ambos ("terra" e sistema de aterramento). Através desta interface passarão os eventos elétricos de e para o mencionado sistema. Estes eventos elétricos incluem energia (surtos e transientes) das companhias de eletricidade, telefone, comunicações diversas, radio e outras formas de dados. Entre estes eventos, encontram-se também a energia proveniente das descargas atmosféricas.

As características desta interface irá determinar a efetividade de sua função, ou seja, se existirá uma conexão efetiva e duradoura do sistema com toda a terra. A efetividade de uma conexão normalmente é determinada em termos de resistência DC com relação a terra. Entretanto, existe um outro fator que normalmente é desprezado pelos projetista: a indutância. Em se tratando de fenômenos de alta freqüência (curtos-circuitos, RF, descargas atmosféricas, surtos e transientes de tensão), este fator começa a preponderar sobre o valor da resistência DC normalmente considerada. A indutância desta interface irá determinar a efetividade do funcionamento como disperssor de raios, terras de RF, terras de segurança e outros destinados ao sistema de eletricidade ou de processamento/controle de dados.Os eletrodos quimicamente ativos BQ2400 proporcionam excelente desempenho perante os eventos de alta freqüência.

Pelo acima citado, nós vemos que o sistema de interface com a terra é um importante subsistema, que não pode ser tratado com superficialidade ou sem conhecimento de seu funcionamento. A aplicação pura e simples das normalizações sem consideração das características do local ou o impacto das mudanças causadas pela estações (seca, chuva, frio ou calor) irá resultar em um sistema inseguro e ineficaz.

Temos observado que quando um sistema de interface (aterramento) é dimensionado e instalado sem critérios e cuidados especiais, os danos aos equipamentos persistem, a segurança que se deseja não é conseguida e a performance do sistema tem ficado abaixo do ideal. Em se tratando de sistemas destinados a drenar elevada energia, no caso dos sistemas de pára-raios, os riscos são óbvios (elevadas tensão de passo junto aos dispersores). Outro problema presente, quando os vários "terras" não são interligados entre si, são as elevações desbalanceadas dos potenciais e os conseqüentes riscos.

Finalmente, a tendência do uso da microeletrônica tem feito os sistemas elétricos e eletrônicos cada vez mais sensíveis às anomalias e transientes de eletricidade. O aterramento elétrico, o sistema de interface com a terra, é considerado agora de vital importância e necessita ser projetado para cada lugar e/ou sistema individualmente. No caso específico dos prédios que são dotados de aterramentos específicos para equipamentos elétricos e eletrônicos, a presença de aterramentos independentes terão resultados catastróficos quando da ocorrência de uma descarga atmosférica.

 

Os Objetivos do Aterramento Elétrico.

Os sistemas de aterramento podem atender cada uma das funções abaixo relacionadas:

1) O "Terra" ou Ponto Referência de Terra. Todo sistema elétrico ou eletrônico deve ser referenciado à terra. Este tipo de aterramento é chamado normalmente de "Terra". O ponto de "terra" neste caso, providencia uma referencia comum para os circuitos dos sistemas. Em muitos casos, o valor de resistência dos pontos de referência é de pequena importância. Para estes pontos, a referência de terra irá satisfazer apenas os requisitos funcionais. Estes sistemas são normalmente independentes não requerendo interconexões com a terra, exceto quando necessário proporcionar segurança às pessoas, não permitindo a presença de potenciais perigosos. Um exemplo típico é um terminal de computador, onde o fio verde (terceiro pino da tomada) é o ponto de referência.

 

2) O aterramento de neutralização de um sistema de pára-raios. Normalmente o aterramento de um sistema de proteção contra descargas atmosféricas é tratado como mencionado no item acima, mas na realidade ele é bem diferente. Na realidade este "terra" deveria ser chamado de "sistema de neutralização de cargas", devido a natureza da eletricidade atmosférica e ao mecanismo das descargas atmosféricas. As nuvens de tempestade induzem na superfície do solo, uma sombra de cargas elétricas de igual, porem opostos potenciais. Quando uma descarga elétrica atinge um ponto ou estrutura na terra, o canal ionizado (condutor de eletricidade) então formado entre estes dois corpos (terra e nuvem), permitirá a equalização das cargas opostas. Neste momento, toda a carga elétrica induzida pela nuvem de tempestade (na superfície da terra, nas estruturas das edificações, nos sistema elétricos e eletrônicos, e em tudo que estiver abaixo da nuvem), deverá se mover em direção ao ponto de contato da descarga, e a neutralização deverá ser processada em 20 microsegundos ou menos.

Desta forma, os sistemas elétrico, eletrônico, ou qualquer outra parte do local sob influência da nuvem, deverão ter um caminho de baixa resistência e baixa impedância em direção ao ponto de contato de uma descarga atmosférica. Desta forma, os requisitos de funcionamento de um aterramento de pára-raios não devem se restringir apenas nos baixos valores de resistência ôhmica (CC- Corrente Contínua), mas sim nas interligações de todos os sistemas vulneráveis através de um caminho de baixa impedância.

 

3) O aterramento de interface com o solo. Deverá proporcionar um contato efetivo com o solo ao redor. Isto é, quanto menor a resistência ôhmica entre os componentes do sistema e o solo em volta, melhor, mais eficiente e seguro o aterramento será. Estes requerimentos estão normalmente associados com sistemas que tem varias interfaces com outros sistemas ou a terra como um todo. Exemplos típicos incluem: as empresas de eletricidade, as centrais telefônicas, grandes plantas industriais, etc.

 

Estes sistemas normalmente necessitam também de um ponto de referência ao terra, uma capacidade de neutralização das cargas elétricas induzidas pelas nuvens de tempestade e uma interface de baixa impedância com a terra.

Pelo exposto acima, e em particular no item 2, podemos entender a necessidade de critérios ao se projetar e instalar um sistema de proteção contra as descargas atmosféricas. A interligação dos diferentes aterramentos e condutores de descidas dos sistemas tem fundamental importância para a efetividade e segurança desejada. Outro aspecto relevante e de fundamental importância diz respeito ao distanciamento regular dos condutores de descidas ("terras") dos sistemas de proteção (não concentrar condutores de descidas, pois assim irá se criar caminhos longos e de alta impedância para as correntes de alta freqüência dos raios). O correto é manter distanciamentos entre 20 a 30 metros entre os condutores de descida.

Entretanto, alicerçadas na aleatoriedade de ocorrência de raios e nos períodos longos que podem ocorrer entre um evento e outro, muitas empresas prestadoras de serviços da área insistem em direcionar seus objetivos para alternativas de baixo custo e confiabilidade duvidosa. Voltamos a afirmar, uma proteção efetiva não dispensa os requisitos fundamentais: materiais de qualidade e apropriados para o uso e em quantidade necessária a atender os conceitos da boa técnica e da evolução da tecnologia. Logicamente, os custos estão diretamente relacionados a estes parâmetros, ou seja, recebemos pelo que pagamos.

IDEAL ENGENHARIA ao longo de seus 30 anos de atividade, tem procurado desenvolver produtos e serviços dentro do maior rigor e conformidade com as tecnologias mais contemporâneas empregada pela comunidade técnica internacional. Mais uma vez, temos tecnologia que garante efetividade na proteção e podemos garantir resultados.

 

VENDEMOS SOLUÇÕES, GARANTINDO RESULTADOS

Cálculo

Esta tabela mostra a relação entre os Eletrodos Químicos BQ2400 e as Hastes de Aterramento Copperweld comuns. Observe que a economia de materiais e também de área de solo requerida são muito favoráveis aos eletrodos BQ2400:

Resistividade do Solo (ohm xm)
Resistência Química Desejada (ohm)
Nº de Eletrodos CHEM-ROD
Nº de hastes Coperweld 3m
50 10 1 2
100 10 1 5
150 10 1 9
200 10 1 13
250 10 1 17
300 10 2 21
350 10 2 25
400 10 2 29
450 10 3 33
500 10 3 38
550 10 3 42
600 10 4 47
650 10 4 52
700 10 4 56
750 10 5 61
800 10 5 66
850 10 6 71
900 10 6 76
950 10 6 81
1000 10 7 85
1200 10 8 106
1400 10 10 126
1600 10 12 147
1800 10 14 169
2000 10 16 191